2018, thank you!

Tá valendo né? ainda estamos em janeiro!

Engraçado pensar no ano que passou como um todo, porque foram momentos separados que fizeram 2018 ser exatamente como deveria ser. Comecei o ano sem ter expectativa nenhuma de como seria, só sentia no fundo do meu coração que seria um ano de alguma mudança. E como foi.
Em outubro de 2017, eu comecei o que diria a saga de uma coisa nova na minha vida. Comecei a pagar o meu tão sonhado intercâmbio para a Europa. Tive que ficar quieta, as pessoas que sabiam, eram pessoas próximas, eu tinha aquele negócio de que não queria que todo mundo soubesse, a felicidade é algo muito nosso.


Os meses foram passando, e o sonho foi ficando cada vez mais perto, eu não sabia mais se era o certo, não sabia mais o que esperar. A passagem de 2017 para 2018, deixou saudades, mas iniciou também um outro momento da minha vida, de que eu queria curtir intensamente tudo que estava acontecendo…

Pulei meu primeiro carnaval, pré-carnaval em São Paulo e carnaval em Minas Gerais, meu deus, que festa! Dias de alegria, muita dança, muitos beijos e muita história para contar. 2018 foi o ano que eu comecei a me conectar comigo novamente, eu já não era mais a menina que ficava quieta, eu falava, falei o que sentia, falei o que queria, fiz coisas que eu sentia vontade, sem deixar que os julgamentos das pessoas me impedissem.
Fui verdadeira, fui eu! e isso me fez ser muito mais alegre. Sorri mais, chorei também, abracei muito e me conectei com muitas almas lindas. Até Junho, foi aquela loucura, entre sair com os amigos, querer viver intensamente, guardar dinheiro para o intercâmbio, querer ficar no Brasil, pagar coisas do intercâmbio, trabalho, família… Minha mente foi para o saco..

Continue Reading

6 on 6 – later!

A primeira coisa é, desculpas aos lindos do grupo 6on6 <3 como a gente falou é de coração, posta quando dá née?! e eu precisava fazer essa postagem, meu primeiro 6 on 6 na Europa! UHulll!!! Ainda não falei muito sobre o intercâmbio, passou quase 4 meses e parece que já foi tanto tempo. Estou escrevendo, prometo! mesmo! ahhaha depois de muito que falar, decidimos voltar com o 6on6 e táa lindo <3

as fotos dos meus primeiros 6 dias aqui em terras irlandesas <3

Primeiro dia do ano, passei trabalhando, mas foi o dia mais incrível da vida <3
O meu café de sempre, agora com meu dreamcatcher <3
New Decor! Garrafa do pub aonde eu trabalho, luzinha mais fofa do unvierso <3
ahh esse céu aqui em Dublin <3
uma igreja, quase um castelo <3
A fotografia não sai de mim!

Todas as fotos foram tiradas com o celular! As coisas aqui passam tão rápido que eu nem estou conseguindo ver os dias e já estamos na metade de janeiro! MEU DEUS!

Igor RenataLuly Lucas

Não vou sumir, prometo ahahhaa <3

Continue Reading

Diario do intercâmbio #1

Vivia sonhando quando ia ter esse tipo de post aqui! Sonho realizado! Yay! Eu nem sei por onde começar, ok, pelo começo. Chegar aqui sem ninguem, sem realmente saber falar a lingua, foi muito dificil. Eu vim sozinha, sem ninguem junto pra dividir os sofrimentos, perrengues e eu te falo que por mais que tenha sido dificil (depois explico essa parte) foi a melhor decisão que tomei. Muitas pessoas compram casas de familia ou acomodacoes da escola, mas eu optei por ficar em hostel. E ai que ficou divertido.
Conversar com a recepção, com as pessoas do quarto, ter que virar nos trinta, com mimica, e Google translate e Google maps, foi bem desafiador. Mas te explico porque foi a melhor decisão, porque se eu dependesse de alguem, eu não faria metade do que fiz.

Por eu estar sozinha, eu busquei lugares pra comer, pra beber um bom cafe.
Por eu estar sozinha, fui em varios lugares turisticos, só andando.
Por eu estar sozinha, enfrentei o medo de perguntar, de falar.
Por eu estar sozinha, eu conheci coisas incriveis, só porque eu errei o caminho.
Estar sozinha, me possibilitou, tirar de mim, o máximo do Ingles que existia na minha cabeça.
Estar sozinha, me mostrou como sou capaz de ir em frente, de fazer as coisas, e de não me acomodar.

Com um mês de Dublin, conheço lugares que pessoas com um ano, não conhecem. E isso não é prepotencia, é só que não deixei que o medo entrasse. E dou o crédito disso pra minha familia, que me apoiava e falava comigo o tempo inteiro, e uma amiga que mesmo de longe, não deixou eu cair.

Antes de eu viajar, muitas pessoas falavam: “lá tem muito brasileiro, foge”, e eu concordo, existe muito brasileiro mesmo, aliás um espanhol estava comentando comigo, que brasileiros são a segunda comunidade aqui na Irlanda. Mas por ser exatamente uma comunidade, são eles que vão te ajudar, no primeiro trabalho, na primeira casa. E isso é muito importante, eu não falaria pra fugir, até porque isso é impossivel, mas você pode evitar ir em lugares que você sabe que terá brasileiros. E tentar fazer amigos de outras nacionalidades 😉 é importante! Mas fugir da sua própria nacionalidade é um pouco complicado.

Existe o medo, existe a insegurança, existe todas as dúvidas que pode passar na sua cabeça. Mas também existe o novo, a descoberta de que você é capaz, de que tudo tem seu tempo, sua história para acontecer. Por mais que as coisas aqui passem muito rápido, tudo tem seu tempo! e eu estou tentando aproveitá-lo da melhor forma como eu consigo 😄

 


Uma informação bem importante, essa série de posts sobre o intercâmbio, é vida real mesmo, sobre os meus dias, sobre as batalhas que enfrento, sobre as coisas boas que acontecem. Existe milhares de vlogs ou blogs, falando sobre a vida na irlanda, sobre lugares para conhecer. vou até deixar aqui pra vocês verem. Mas aqui é algo mais pessoal, é sobre o que ninguém fala, ou o que não tem graça de falar, mas que é importante.

Continue Reading