Diario do intercâmbio #1

Vivia sonhando quando ia ter esse tipo de post aqui! Sonho realizado! Yay! Eu nem sei por onde começar, ok, pelo começo. Chegar aqui sem ninguem, sem realmente saber falar a lingua, foi muito dificil. Eu vim sozinha, sem ninguem junto pra dividir os sofrimentos, perrengues e eu te falo que por mais que tenha sido dificil (depois explico essa parte) foi a melhor decisão que tomei. Muitas pessoas compram casas de familia ou acomodacoes da escola, mas eu optei por ficar em hostel. E ai que ficou divertido.
Conversar com a recepção, com as pessoas do quarto, ter que virar nos trinta, com mimica, e Google translate e Google maps, foi bem desafiador. Mas te explico porque foi a melhor decisão, porque se eu dependesse de alguem, eu não faria metade do que fiz.

Por eu estar sozinha, eu busquei lugares pra comer, pra beber um bom cafe.
Por eu estar sozinha, fui em varios lugares turisticos, só andando.
Por eu estar sozinha, enfrentei o medo de perguntar, de falar.
Por eu estar sozinha, eu conheci coisas incriveis, só porque eu errei o caminho.
Estar sozinha, me possibilitou, tirar de mim, o máximo do Ingles que existia na minha cabeça.
Estar sozinha, me mostrou como sou capaz de ir em frente, de fazer as coisas, e de não me acomodar.

Com um mês de Dublin, conheço lugares que pessoas com um ano, não conhecem. E isso não é prepotencia, é só que não deixei que o medo entrasse. E dou o crédito disso pra minha familia, que me apoiava e falava comigo o tempo inteiro, e uma amiga que mesmo de longe, não deixou eu cair.

Antes de eu viajar, muitas pessoas falavam: “lá tem muito brasileiro, foge”, e eu concordo, existe muito brasileiro mesmo, aliás um espanhol estava comentando comigo, que brasileiros são a segunda comunidade aqui na Irlanda. Mas por ser exatamente uma comunidade, são eles que vão te ajudar, no primeiro trabalho, na primeira casa. E isso é muito importante, eu não falaria pra fugir, até porque isso é impossivel, mas você pode evitar ir em lugares que você sabe que terá brasileiros. E tentar fazer amigos de outras nacionalidades 😉 é importante! Mas fugir da sua própria nacionalidade é um pouco complicado.

Existe o medo, existe a insegurança, existe todas as dúvidas que pode passar na sua cabeça. Mas também existe o novo, a descoberta de que você é capaz, de que tudo tem seu tempo, sua história para acontecer. Por mais que as coisas aqui passem muito rápido, tudo tem seu tempo! e eu estou tentando aproveitá-lo da melhor forma como eu consigo 😄

 


Uma informação bem importante, essa série de posts sobre o intercâmbio, é vida real mesmo, sobre os meus dias, sobre as batalhas que enfrento, sobre as coisas boas que acontecem. Existe milhares de vlogs ou blogs, falando sobre a vida na irlanda, sobre lugares para conhecer. vou até deixar aqui pra vocês verem. Mas aqui é algo mais pessoal, é sobre o que ninguém fala, ou o que não tem graça de falar, mas que é importante.

Continue lendo

Carta aberta de uma recente intercambista

Ainda não estou acreditando que estou indo realmente, parece que passa um flash, em ver que tudo que eu sonhava, agora vai se tornar realidade. Nessa tempo de espera, ja ouvi muito: “você vai sozinha?” Quando recebem a resposta, continuam: “coragem!”.

Coragem! Uma palavrinha tão minuscula, diante do significado dela. Mas eu entendo, é preciso coragem para deixar a rotina, é preciso coragem pra deixar o trabalho, é preciso coragem pra mudar a lingua e a escrita, é preciso deixar a coragem entrar dentro de vc, te encher com muitas coisas boas pra você não desistir, não cair com todos os sentimentos que envolvem.

É preciso ter equilibrio emocional pra fazer tudo isso! E porra, quem tem equilibrio emocional? Meu Deus! É completamente dificil, completamente desgastante, mas a coragem, ela fica ali dentro, de cutucando.

A mente pensa: “não dou conta, não estoi aguentando, não vou conseguir.”
Ai vem a coragem: “Vai sim, vc ja pagou, tudo Vai dar certo, confia.”

E fica nessa jornada, até o dia chegar. E chegou! E ai meu Deus, estou pirando, sera que vai da certo? Será que vai ser incrivel? Será que volto com o inglês bom? Será que eu volto? Será que eu aguento a pressão? Será?

Ai la vem a coragem: ” o será vai ser sempre será se não tentar”
Com aquelas fuckin frases motivacionais! Mas você sabe que por mais cliches que elas sejam, funciona! Eu mesma tenho uma pasta com várias frases motivacionais, que vejo de vez em quando, elas são o alimento da coragem, porque você precisa alimentar pra que ela continue sobrevivendo, ali dentro de você!

Muitos falam dos que ficam, mas estou falando do outro lado, dos que estão indo! Uma sensação, uma mistura de sentimentos, muito doido!

Deixar a rotina de ver os amigos, sair, pra comer, pra conversar. É muito ruim deixar isso, você sabe la no fundo, que tudo isso vai mudar e você não quer! Porque a mudança é dificil! Talvez seja por isso que façamos o quanto de “despedidas” podemos! Talvez seja por isso que queremos ver uma quantidade de gente, porque a mudança ocorrerá, e não é só a mudança fisica de um lugar pra outro, é a mudança interna, nós vamos mudar, e a gente sabe isso no fundo, a gente sabe!

Meu Deus como é dificil, o “último” abraço, a “última” saida, a “última” cerveja, como é dificil, receber abraços, apertados e recheados de muito carinho, muito amor! Mas exatamente por estar recheado de carinho e amor, é que torna mais gostoso! Talvez até mais fácil, passar por isso.

Mas não tem coisa mais gratificante do que ter amigos! Como meus amigos são sensacionais! Todos eles te mantém lúcida e bem pra tudo isso, muito apoio, muitas saídas! E principalmente, eles estão ali, vivendo, e vibrando a cada passo! Sei que é piegas, mas estou piegas ultimamente, amigo é coisa pra se guardar mesmo!

Eu não tenho palavras pra agradeço cada um que fez algo pra mim, por mim, seja um abraço, seja fazer surpresa ( essa vai ficar na minha mente pra sempreee viu?) Seja aquele almoço gostoso de um dia qualquer, seja se preocupar comigo, tudo ajuda, tudo é valido, porque precisamos sentir esse amor, para nós que estamos indo, sentir esse amor, é o que move!

O ir, leva consigo uma bagagem gigante, de muitos ses, muitos talvez, muitos serás, e além das dúvidas, muitos vai ser ótimo, incrível, amazing! O que eu estou sentindo no momento é uma mistura de medo, insegurança, alegria, felicidade. Falam que não existe a palavra saudade nos vocabulários pelo mundo, e eu fico feliz. Por existir uma palavra, que significa tanto, e tanta coisa boa, que só existe no meu País! Assim posso explicar para as pessoas ao redor do mundo, o que é saudade! Porque nesse momento, já estou sentindo ela!

Porém a saudade, é só mais um combustível pra poder tomar rumo e seguir adiante. Para todos que estão ficando, amigos e família, obrigada por impulsionar tudo o que foi possível acontecer nesse tempo! Obrigada por estarem do meu lado sempre, por querer estar do meu lado até o último minuto possível! Por não querer se despedir, apenas um até logo. Amo vocês incondicionalmente!
Sei que terá momentos dificeis, e terá momentos muito bons! Mas é preciso vivê-los não é?

Estou indo, porém volto! Com muita experiência e muito aprendizado! Logo terá minhas primeiras impressões de como é estar sozinha (no bom sentido) nesse mundão a fora!

Um beijo! <3 PS* escrevendo esse post, do aeroporto de Amsterda, logo mais posts sobre tudo isso que estou vivendo!

Continue lendo

8 quatro vezes!

28.08.2018 – 28 anos!
Tem mais 8 que em vários anos da minha vida! Eu sempre me simpatizei com o número 8, eu nunca entendi o motivo, e ai fui procurar o significado:

“No Japão, o número 8 é um número sagrado. O número 8 anuncia a prosperidade e a bem-aventurança de um novo mundo. O oito deitado, ou o símbolo do infinito, representa ainda a ligação entre o físico e o espiritual, o divino e o terreno.”

Não é atoa que esse número apareceu quadruplicado pra mim esse ano. Coisas novas acontecendo, fechamento de ciclos. Em 2016 eu escrevi um post sobre como eu me via por dentro sabe, como eu era. E relendo esse post, eu percebi o quanto a gente é mutável, o quanto nós evoluímos, crescemos. E o quanto temos que aprender com a vida. Nesses 28 anos de vida, já aconteceram muitas coisas, e muita delas me fizeram olhar a vida de outra forma.

Uma amiga querida me diz sempre: “só se vive uma vez”. E por mais que ela fale na brincadeira. É verdade. Nós só temos uma vida, e para que desperdiça-la com coisas que não nos faz feliz, com coisas que não nos integra. A gente tem que aproveitar cada momento, cada felicidade, cada tristeza, cada coisinha que acontece, porque são esses momentos que fazem sentido pra nossa vida.

Eu sempre escrevi, sempre. Em todos os momentos, estava eu com um caderno ou o próprio computador, e esses dias eu encontrei algumas anotações, de alguns anos atrás. Eu vi uma garota com medo, eu vi uma garota com sonhos, eu vi uma garota em busca de algo muito maior. No post sobre mim, eu falei muito sobre amor próprio, e comecei 2017 com essa mesma busca. E continuo na jornada. Mas sabe o que é legal? É ver o quanto eu evolui nessa jornada em 2 anos. É incrível!

Essa garota com medo, virou uma mulher mais determinada, guerreira, ainda com medo, porém com coragem pra enfrentá-los. Essa garota com sonhos, foi buscá-los! E essa garota que busca algo maior, conseguiu chegar em algo inexplicável. A gente muda, a gente evolui, pensamos diferente, agimos diferente, mas os nosso valores ficam. E o que eu percebi muito nesse tempo todo, é que a gente não pode esconder atrás das pessoas, ou atrás dos nossos medos e anseios, temos que colocar o rosto no sol mesmo e ir em busca do que a gente quer. Não deixe nunca, nem ninguém, te diminuir. Você é muito maior do que você imagina.

Continue lendo