Document Your Life .March2018

Mais um document Your Life, mais um projeto que vou tentar seguir no blog ahahha eu vi essa ideia em algum lugar, que eu não lembro, e achei muito legal, é você documentar em pequenos vídeos, coisas simples do seu mês (site do projeto). São bem simples, não é um vlog, é diferente. São pequenos momentos que você passou, pode ser um lugar que você foi, um café que você tomou, uma comida que você fez. Tudo que você queira documentar, geralmente os vídeos são pequenos, um exemplo LINDO: da Melina Souza, do serendipity. Enfim, pequenos momentos aleatórios ahhahahhaa

Esse mês de março deu pra perceber o quanto eu sou eclética ahhaa, não fiz muita coisa em março, acabei filmando mais os meus últimos dias, no começo foi uma loucura, porque foram muitos aniversários, então não consegui filmar.
1- No final de semana do dia 17 de março, eu fui com uma amiga para um Samba Solidário, organizado pela ONG: Sonhar Acordado, que a minha amiga participa, duas bandas bem conhecidas aqui de pagode, que chama Samba de Responsa e Sem Tempo, e foi muito divertido. (além de ajudar as crianças)
2- No final de semana seguinte, eu fui para o Pub Grainnes (é um pub irlandês, aqui em Campinas, e eu amooo ele), eclética? maginaaa, pagode num fds, rock no outro, mas eu amo e mostra muito do que eu sou! E foi super divertido, teve até RedHot, para quem não foi no lolla, e a banda era muito boa!
3- E no outro final de semana, que foi páscoa e final de março, fui para Minas Gerais, passar a páscoa com a família, curti muito, corri, andei, vi pôr do sol, brinquei com os cachorros! E foi aquela páscoa bem delícia, de descanso, pé na grama e  pão de queijo!
Esse mês realmente não foi muita coisa ahahahaha vou deixar algumas fotos também <3


Me fala se não é um pôr do sol maravilhoso?!


Quando se tem uma mãe que adora tirar foto sua ahhahaha Encontramos essas plantas no meio da estrada e paramos para tirar foto, é uma das coisas que amo viajar em família! A gente sempre para, quando quer. Nada de pressa para chegar ao destino ahahhaa

Lembrando: Eu filmei todos com o meu celular, por isso, a imagem pode não estar muito boa ou fica aquela tremedeira, eu fiz algo simples mesmo, mas de coração 🙂
Vocês já fizeram Document Your life? Espero que gostem de saber um pouquinho mais! <3

Continue lendo

I am Liz Gilbert.

Depois de 6 anos, eu assisti novamente o filme: Comer, Rezar e Amar. Sem lembrar muito do filme, eu sabia que ele trazia uma mensagem bonita, e que sei lá o motivo, eu estava interessada em assistir novamente.
Foi um misto de sentimentos ver novamente o filme, depois de anos assim, me fez olhar e identificar muito a cada mensagem dele. Ouvir ainda da minha amiga: Aquele filme é para você…

Muitas coisas mudaram desde a primeira vez que assisti, muitas coisas aconteceram, pessoas foram, pessoas ficaram, eu cresci, amadureci, e me transformei. Vendo o filme hoje… consegui entendê-lo, cada fala, e cada atitude dela com relação a vida…

E sabe, eu sou um pouco da Liz Gilbert, medo de estagnar, medo de ficar rodando em ciclos sem rumo. Medo de ser igual. E você será que tem um pouco de Liz Gilbert? Não, não foi falar sobre o filme, até porque essa não é muito a minha praia, e o assunto aqui é outro.

Você já teve a sensação de que queria mais, de que aquela rotina que você vive, de que aquela normalidade da sociedade, não é o bastante pra você? Eu não estou falando que é errado, ou o que as pessoas não podem fazer isso, construir uma família, ou viver uma história como se fosse um filme bem romântico.

Eu tenho me perguntado muito nos últimos dias, se era isso o que eu queria, e porque toda vez que eu vejo fotos de pessoas viajando, pessoas experimentando outras culturas, falando outras línguas, visitando lugares que muitas vezes ninguém visitaria, eu fico com aquele aperto, de que eu quero isso também!

Eu quero mais! que eu quero explorar, ter experiências, que eu quero VIVER, antes de achar um amor, antes de construir uma família e me ver cercada por crianças. (que eu quero isso)

Tem dias que eu viajo com olhos abertos, imaginando eu na muralha da china, ou na neve de nova york, ou em um hostel qualquer no chile… Parece bem aquela vida nômade né? mas a real é que o mundo está ali pra ser explorado, o Brasil é lindo, eu sei disso, e eu sou apaixonada pelo meu país, e ainda quero ir para muitos lugares no Brasil, mas eu preciso de algo que eu nunca pensei tanto na minha vida!

Continue lendo

2017: oqueaconteceu?

E lá vamos nós para 365 dias de folhas brancas novamente, 2017 passou e passou levando tudo… começou calmo, deu um terremoto ali e aqui, mas estou aqui, viva e viva mesmo!

2017 foi turbulento para mim, mas foi necessário.
Foi o ano que eu achei que meu coração estava realmente despedaçado, mas que por sorte tinha amigos e família do meu lado.
Foi o ano das experiências.
Foi o ano em que conheci muitaaa gente, muita mesmo! E que fez uma diferença GIGANTE na minha vida.
Foi o ano que dancei como se não houvesse amanhã e sai em foto de balada mesmo não sendo mais adolescente.
Foi a ano que eu comecei a gostar mais de mim
Foi o ano que eu comecei a gostar do que eu olho no espelho.
Foi o ano do auto conhecimento
Foi o ano da descoberta de quem sou eu.
Foi o ano da diversão.
Foi o ano que eu aprendi a apertar o botãozinho do foda-se
Foi o ano de decisões. De escolhas.
Foi o ano que eu mais ri. de dar gargalhadas mesmo.
Foi o ano de decepções.
Foi o ano que eu mais falei: eu não esperava isso.
Foi o ano que achei em vários momentos que eu estava em um filme.
Foi o ano de mudanças.
Foi o ano de amor. Amor por mim mesma.
Foi o ano das amizades. Daquelas de filmes e daquelas que é pra sempre.
Foi o ano em que eu comecei a beber mais (eu nem bebia ahahah)
Foi o ano do recomeço..
o ano que deu inicio a uma jornada linda na minha vida..
A jornada do auto conhecimento, da auto aceitação, do amor próprio.

Foi turbulento, foi doido, foi triste, mas foi lindo e precisava acontecer tudo que aconteceu.
2017 passou por aqui me fazendo relembrar e entender, que amizades são tudo na nossa vida, família realmente é a nossa base, que as decepções são necessárias para o nosso crescimento. Que diversão e alegria, tem que ser constantes e diariamente, 2017 me fez ver, o quanto eu sou capaz. Me fez entender que nada sai como a gente quer. 2017 me deu tapas na cara, pra eu crescer, pra eu amadurecer e evoluir como pessoa.

2017,
obrigada pelas noites mal dormidas, obrigada pelas festas, obrigada por pessoas maravilhosas entrarem na minha vida, obrigada por cada momento, de lágrimas, de desespero, de medo, de alegria, de felicidade, de motivação. Por cada demonstração de carinho, de afeto, por cada pessoa que conheci nesse ano, algumas ficaram, outras passaram, mas que tiveram uma enorme diferença em tudo… Obrigada por ter noites perfeitas, obrigada por me dar domingos lindos, almoços maravilhosos.

O que eu espero de 2018?
Mais experiências, mais aprendizados, mais decepções (já que não podemos fugir, que andamos juntos então), mais amizades lindas, mais gargalhadas, mais noites mal dormidas, mais festas, mais almoços, mais doces, mais conversas aleatórias, eu quero é mais em 2018, mais vida!

Que 2018 seja doce, que seja na medida certa!

Continue lendo